• Casos de Estudo
Controlo de Emissões

Caldeiras a Fuelóleo

A combustão de óleo combustível (óleo combustível pesado, óleo leve e outros) liberta material particulado (MP) para a atmosfera, poluindo os arredores e prejudicando a saúde humana. O MP libertado durante a combustão de óleo combustível é principalmente composto por materiais carbonáceos, como fuligem e cinzas, bem como compostos de enxofre, frequentemente presentes no óleo combustível. Estas partículas podem variar de alguns nanómetros a vários micrómetros.

Embora haja uma tendência crescente para fontes de aquecimento mais limpas e sustentáveis, levando à diminuição do uso de caldeiras a óleo combustível, estas ainda são usadas em áreas com acesso limitado à eletricidade ou gás natural, como áreas rurais ou remotas, nomeadamente ilhas.

As caldeiras a óleo combustível são usadas em processos industriais que requerem calor de alta temperatura e grandes quantidades de vapor, pois o óleo combustível pode gerar altas temperaturas e produzir um grande volume de vapor. Também são usadas em centrais elétricas modulares para geração de eletricidade.

O arranjo geral de uma planta de óleo combustível inclui um sistema de despoeiramento final.

Ciclones convencionais e multiclones geralmente não conseguem atender aos padrões de emissão atuais quando utilizados como sistema de despoeiramento final devido ao tamanho das partículas.

As partículas também apresentam sérios desafios para os filtros de mangas devido à sua natureza pegajosa, aderindo à superfície das mangas e reduzindo a sua capacidade de filtragem ao longo do tempo. Acumulando-se nas superfícies do filtro, as partículas reduzem o tamanho dos poros do meio filtrante e obstruem o fluxo de gás através do filtro. Este problema pode ser parcialmente superado com revestimento de PTFE ou outras alternativas.

ESPs são uma alternativa tecnicamente viável, mas geralmente muito caros para caldeiras onde o preço é fator decisivo.

As necessidades dos clientes incluem um sistema de despoeiramento final altamente eficiente a um preço razoável, robusto o suficiente para operar por vários anos sem custos significativos de manutenção ou operação e evitando paradas de produção.

As soluções da ACS incluem ciclones de alta eficiência (famílias de ciclones HR a MK), que são uma verdadeira alternativa a outros despoeiradores mais exigentes em termos de manutenção ou custo, atingindo emissões tão baixas quanto 50mg/Nm³.

Para mais informações detalhadas e resultados, convidamos a explorar os nossos estudos de caso em vários segmentos industriais.